Pular para o conteúdo principal

Nosso mais novo artigo

ANIMES ON DEMAND

A GUERRA DOS STREAMING

O anúncio feito pela distribuidora de mídia asiática oriental Funimation Productions no dia 3 de Julho, durante FunimationCon 2020, consolida a era dos animes on demand e atinge os fãs brasileiros com êxtase e preocupação. A empresa americana fundada por Gen Fukunaga (ainda atual presidente) e sua esposa Cindy Fukunaga em 1994 é especializada em dublagem e distribuição de conteúdo asiático, com foco em animes. Inicialmente sua rede se estendia aos EUA e Canadá com a distribuição de diversos títulos conhecidos mundialmente como: Dragon Ball, One Piece, Cowboy Bebop , Akira e Attack on Titan. Entre idas e vindas, vendas e compras de ações, em 2017 a Sony Pictures adquiriu parte majoritária da Funimation e deu início a um ousado conglomerado mundial de animes. FUNIMATION GLOBAL GROUP
Imagem: Divulgação

No final do mesmo ano foi anunciado a consolidação de um empreendimento em conjunto composto por: pelas subsidiárias Funimation, Madman Anime Group/ Animelab e Wakani…

A lenda do herói, Uzumaki Naruto

Naruto Shippuden- O desafio final



Nos artigos anteriores vimos às características do arquétipo do herói presentes no mangá/anime Naruto, e o desenvolver de sua jornada, como seu nascimento conturbado, o confronto com sua sombra, e a luta com sua alma interior, que representam seus medos e receios. Essa última parte será focada na conclusão da trama, os desafios finais da jornada do herói e a perspectiva de uma nova vida.

Para ler a primeira parte desse artigo clique aqui!
Para ler a segunda parte desse artigo clique aqui! 

                                                        
              O Artigo a seguir contém Spoilers! 
                              Fique ATENTO!

A relação do herói com sua anima é crucial na história, o reconhecimento de sua essência feminina e sua integração é parte de seu crescimento pessoal, esse arquétipo está relacionado também a imagem da mãe. É natural ao processo de desenvolvimento do ser, o rompimento com a figura materna, para dar início ao seu caminho pessoal, entretanto o desprendimento carrega em si um sentimento de culpa e medo constante da vingança da mãe protetora. Essas imagens representam o despertar da própria consciência e sua diferenciação perante o inconsciente, ao primitivo, a natureza de onde provém. A dualidade encontrada na Grande- Mãe, hora acolhedora, protetora e total,carrega em seu oposto o Dragão devastador que contém em si todos os males do mundo, com sua fúria estrondosa. Basta que façamos uma comparação com a natureza, dela provém todo necessário a nossa nutrição e sobrevivência, terra onde erguemos nossas moradas, entretanto em alguns momentos, sua força em forma de furacões, tsunamis, terremotos, tempestades nos amedronta. Ainda hoje, dias dos quais o homem se orgulha da conquista da mesma, não deixamos de sofrer com sua fúria. Na mitologia grega Gaia representa a terra, ela é a mãe que protege seus filhos e os auxilia na luta contra os pais tiranos, contudo é a mesma que dá luz aos Titãs e os instiga a lutar contra seus filhos, os Deuses do olimpo.Tifón Titã que deu muito trabalho a Zeus é um exemplo. Essa dupla face de seu ser é representada em muitos contos em forma de Dragão, monstro terrível, de força celestial e chefão final de diversos épicos. 


A esquerda Venûs de Willendorf estatueta do ano de 28.000 A.C
A direita uma das representações de Tiamat como Dragão (Deusa Suméria)

Anteriormente foi dito que, em Naruto a mãe primordial, celestial é representada pela figura do Chakra, a energia vital, natural, a mãe criadora, que nutre a alma de todos os seres. Seu lado negativo na série é apresentado de forma mais palpável, como o vilão final, aquela que é chamada de mãe, deusa criadora e fonte do Chakra, Kaguya. A imagem de Kaguya personifica o arquétipo da grande mãe em sua versão negativa, é nítido que a mesma é movida apenas pelo sentimento de vingança perante a traição e fuga de seus filhos, bem como o ódio que nutriu da humanidade ( Não existe coisa mais assustadora que uma Mãe brava). O ápice da força e perigo de toda a série é a imagem de Kaguya que deseja ter seus ‘’filhos’’ de volta ao seu controle, vivendo em segurança em um mundo de ilusões, presos em sua mente, no eterno inconsciente, o Tsukuyomi infinito. Um dos papéis do arquétipo do herói é o desprendimento da grande mãe e mais tarde seu enfrentamento, que representa todos os seus medos, males, receios, constelados na figura vingativa da mãe má. No entanto é necessário ressaltar aqui um ponto importante nessa jornada, o arquétipo do Pai primordial é fundamental para o confronto entre o herói e o Dragão. Ele que dará ao filho as armas necessárias para vencer o grande mal. Esse arquétipo aparece nesse momento do anime personificado como o sábio dos seis caminhos, que poderíamos afirmar ser o primeiro ideal de líder, precursor da ideia de Hokage. Esse lhe explica sobre o ciclo de heróis anteriores a Naruto, e os conflitos aos quais passaram em sua jornada, os Clãs Senju e Uchiha representam a consciência e sua sombra, o Animus e Anima, Yang e Yin. Naruto agora tem a missão não só de derrotar Kaguya, mas de finalizar o ciclo de experiências e conflitos, se livrar do domínio infinito do inconsciente coletivo, das imagens arquetípicas, do padrão antigo. 


Ciclo que encarnações dos espíritos de Indra e Ashura.

O arquétipo de herói aparece para selar o novo, quebrar as barreiras do velho e dar origem a sua história, seu caminho, seu reinado, representa a consciência dando significado ao seu eu, colocando a sua vontade perante o antigo domínio do inconsciente. Naruto é a figura desse arquétipo, a previsão de que ele traria paz a um mundo de caos deixa claro seu papel como herói transformador. Na mitologia suméria Marduk é aquele que aparece para trazer um novo reinado e seu desafio é enfrentar Tiamat, a mãe criadora, que se volta contra ele, com sua vitória Marduk cria um novo mundo aos homens. Com a consciência de sua tarefa Naruto adquire um novo poder, o modo sábio e junto a Sasuke (sombra), Kakashi (Professor/Animus), Sakura (Anima) o herói derrota Kaguya, salvando a todos. 


Marduk (Deus Sumério criador da humanidade) confrontando uma das bestas criadas por Tiamat ( Deusa Suméria do Oceano, Mãe de todos os Deuses).

Porém há ainda um último confronto, Naruto deve finalmente se integrar com sua sombra por completo, pois ainda resta o conflito ético em relação à figura do pai. O que é ser um Hokage? O grande inimigo do herói não são os males que lhe assolam de sua infância ou o Leviatã que quer lhe tomar a vida, mas algo íntimo, seu orgulho e vaidade, seu Eu. O herói ao conquistar suas vitórias tem a sensação de poder, controle, domínio sobre toda e qualquer coisa que esteja em seu caminho, para psique representa o estado de inflação do ego, do complexo do eu frente às recentes conquistas do embate com as potências inconscientes. Essa posição lhe confere algo que sempre desejou, o “controle absoluto” da psique, ele agora que irá ditar as regras e suas vontades, pelo menos é o que parece. Entretanto o Ego deveria estudar as leis da mente, pois segundo Jung e sua lei de compensação, toda e qualquer tendência unilateral do consciente tem sua resposta inconsciente de igual proporção, a famosa lei do retorno. Ainda existe um desafio a ser ultrapassado, este Jung deu o nome de Personalidade-Mana. Representa o arquétipo do sábio, o mestre, o grande conhecedor o mago supremo, a figura do supremo com qual o Eu corre o risco de se identificar, no caso de Naruto a figura maior do Hokage. 


Naruto Hokage


A luta final com Sasuke representa a batalha interna de Naruto com a Personalidade-Mana. Nesse momento da série não existe ninja mais forte, ele é detentor do Chakra de todas as Bijus, tem o domínio de sua Anima e a força por seu aspecto masculino. Quem poderia ir contra suas vontades em um mundo em estado caótico? Como já dito Sasuke é a imagem da sombra do menino raposa, por esse fato seu poder é de igual tamanho, ele também viu a verdade e as dores do mundo, e demonstra o herói que sucumbi ao ego, o orgulho e acaba por se perder no arquétipo da Persona-Mana. Deseja através de seu imenso poder, subjugar todos as suas vontades, afinal ele sabe tudo, sua visão é o caminho correto que guiará a humanidade. Portanto a questão da vaidade é ponto crucial do caminho do herói, irá revelar se o Eu, em sua ilusão pela imagem de Deus, assumirá o papel do mesmo. Ou aceitará que não é o detentor do universo mas sim parte dele, se integrando ao todo. 

Essa resposta junto a batalha com o Kaguya colocou fim ao antigo ciclo, que representa a história da própria humanidade, paradigmas que confrontamos desde os primórdios. O desfecho não poderia ser mais emocionante, rendendo dois incríveis episódios no Anime, terminando com ambos estirados ao chão sem um braço, aceitando a presença de um no outro, o equilíbrio de nosso interior, a integração com nosso lado obscuro, aceitando como parte de nosso ser, o trazendo de volta a luz. 



Naruto e Sasuke - resolução da luta final.

Toda história, lenda e mito heroico se trata sobre o nosso caminho pessoal em busca da personalidade verdadeira, a individuação, o processo de reconhecimento de algo maior a nós, entretanto parte de nós, quem somos? quem nos tornaremos? Embora todo conto proponha um desfecho, a luta com nossos medos, sentimentos, desejos é constante, diária, ocorre até o fim de nossas vidas, o herói aparece todos os dias, bem como nossa sombra, Anima/Animus e Persona, são funções presentes em nossa psique. Nunca há um fim, o caminho é o próprio fim, um ciclo de experiências vivas, o caminho pela totalidade da alma. O menino raposa foi tão amado dentro e fora do Japão por expressar nitidamente as qualidades do herói, e ao fim conquistou o papel de líder de sua vila, sua figura é a imagem de nossa força interior e demonstra que todos podem ser heróis e superar seus desafios pessoais, por mais clichê que pareça. Jung era otimista, pois considerava a existência de um arquétipo salvador, redentor, o qual ao fim, próximo ao abismo, surgiria como força transformadora, culminando em nosso ‘’final feliz’’. Algo que nos transcende, o todo, o Self. 

Espero que esse artigo tenha esclarecido como alguns conceitos da psicologia analítica se encaixam em nosso cotidiano e estão presentes nas entrelinhas de series, filmes, livros e contos que somos fãs e nos identificamos. Agradeço a todos que chegaram até o fim desses três artigos. Por favor, comentem, deem seu feedback, critiquem, reflitam, adicionem conhecimento ao blog, juntos somos mais fortes. Agradeço e até a próxima postagem!


FIM!


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


Campbell, Joseph. O herói De Mil Faces. Pensamento,
2010.

El Poema De La creación Enuma Elish. Dirección De Difusión Cultural, 1989.

Jung, C. G. (Carl Gustav). O Eu e o Inconsciente. Vozes, 2008.
Jung, C. G., et al. Os arquétipos e o Inconsciente Coletivo. Vozes, 2000.
Kishimoto, Masashi. Naruto. Viz, 2008.
Müller, Paschoal. O herói: Todos Nascemos Para Ser heróis. Cultrix, 1992.
Neto APT; Silva FA; Ribeiro IRG. Iconografia do humor presente no anime Naruto: representação gráfica dos ícones humorísticos da animação nipônica.Periódicos Ufpb,2018.
Neumann, Erich. História Da Origem Da consciência. Ed. Cultrix, 1995.
Noronha, F.S. Animês e mangás: o mito vivo e vivido no imaginário infantil. Faculdade de Educação,
Universidade de São Paulo, 2013.
Oliveira, Carlos Daudt de. A epopéia De Gilgamesh. Martins Fontes, 2001.
Vernant, Jean-Pierre, and Rosa Freire D'Aguiar. O Universo, Os Deuses, o Homens. Companhia Das Letras, 2005.




Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas